Menu Principal

Prevenção e Emergências

Temas de Interesse

Doenças dos Animais

Acupunctura e Homeopatia

Video



Get the Flash Player to see this player.

time2online Joomla Extensions: Simple Video Flash Player Module

Siga-nos no Facebook

Facebook

Prevenção e solução: evitar que um animal se perca
Escrito por Administrator   
Terça, 26 Janeiro 2010 10:45

 

MAIS VALE PREVENIR:

Evitar Que Um Animal Se Perca

 

Não são apenas os casos de abandono que acontecem. Há muitos animais que são muito amados pelos seus donos e que por uma desatenção, um acidente ou por excesso de facilidade e confiança por parte dos donos acabam perdidos. Os animais não esterilizados/castrados têm muito mais probabilidades de fugirem, principalmente na altura do cio.

Numa situação dessas, o tempo de acção é fulcral para conseguir localizar o animal perdido. Principalmente se o animal não estiver devidamente identificado. É de extrema importância ter os animais identificados, colocando-lhes chip e medalhas de identificação com contacto numa coleira. Só a coleira não chega, porque quem o encontrar sabe que tem dono, mas não pode entrar em contacto e pode assumir que o animal foi abandonado. A colocação de uma medalha na coleira com o número de contacto é fundamental. As bases de dados relativas aos microchips normalmente não estão actualizadas e, mesmo que estejam, se o chip for recente a informação pode ainda não constar no sistema. Além disso, é natural que quem encontre o seu animal não se lembre de o levar a um veterinário para ver se tem algum microchip implantado.

De imediato deve pedir ajuda a amigos e familiares (eventualmente até a vizinhos com quem se dê bem e conheçam o animal), fazer fotocópias de uma boa fotografia (eis a importância de ter sempre uma boa fotografia do seu animal de estimação), escrever “desapareceu”, pôr a data e o contacto, e começar a percorrer toda a zona circundante. Leve um brinquedo que faça um barulho que o animal conheça, ou um pacote de comida ou biscoitos cujo som ele reconheça. Lembre-se que muito provavelmente o seu animal estará assustado e desorientado, o que pode inclusive levar a que não reconheça o seu nome e não atenda aos chamamentos. Utilize o som que ele conhecer melhor, como um assobio normalmente usado para o chamar.

Fale com as pessoas que encontrar pelo caminho e mostre a fotografia do animal. Leve cópias suficientes e fita-cola para ir afixando em postes, paragens de autocarro e estabelecimentos, se lhe derem essa permissão.

As primeiras 24 horas são cruciais, principalmente no que refere cães de raças maiores, pois o animal pode percorrer muitos quilómetros num dia e afastar-se cada vez mais. Recorde que o seu animal não está habituado a andar na rua sozinho e não tem referências de como regressar a casa. Por isso, na sua tentativa de regresso ele pode afastar-se cada vez mais.

Peça a um amigo ou familiar que coloque imediatamente um anúncio no site “encontra-me.org”, indicando a foto, o local e data onde se perdeu, as características do animal e os contactos.

 

encontrame_org

 

Deixe uma fotografia no canil municipal da sua área, avisando-os de que o animal está perdido. Envolva a polícia no seu esforço, dirigindo-se à esquadra da sua zona e deixando várias cópias da fotografia, que possam ser distribuídas pelos carros patrulha. Peça à polícia que o ajude e fique atenta ao seu animal durante as rondas.

Se o animal perdido for um gato, as buscas podem ser ainda mais difíceis, pois o gato pode esconder-se por estar assustado, chegando a locais de mais difícil acesso do que os cães. No caso de um gato, a primeira coisa que deve fazer é analisar com todo o cuidado a parte de baixo de todos os carros que estiverem na sua área, começando à porta de casa. Será uma das primeiras tendências do gato o esconder-se debaixo de um carro estacionado. Por outro lado, um gato não ficará a vaguear no meio da rua, escolhendo jardins, descampados e locais que tenham esconderijos que possa usar.

Um animal perdido pode ser recolhido por pessoas de excelentes intenções, mas que podem assumir que foi abandonado (infelizmente, a elevada taxa de abandonos no nosso país pode levar a que alguém pressuponha isso mesmo). Por isso mesmo, é também importante espalhar o máximo possível de fotografias com o contacto. Eventualmente, quem o tiver recolhido irá cruzar-se com o seu apelo e, se for uma pessoa de bem, entrará em contacto consigo. Mesmo que não o faça, aumentam as probabilidades de alguém ver o seu animal com outra pessoa e assim poder avisá-lo.

O mais importante, é mesmo prevenir e ter o máximo cuidado para que o seu animal não fuja e não ter de passar pela angústia de o procurar e de pensar que ele pode estar mal ou estar ferido. Como refere o site “Encontra-me”: “Infelizmente, não há medidas infalíveis. No entanto, se tentar seguir o melhor que puder as sugestões que se seguem, estará a reduzir significativamente a probabilidade de o seu animal desaparecer.”

Aqui lhe deixamos os conselhos que estão escritos no Encontra-me.org e que se forem inseridos na sua rotina normal diminuem em muito o risco de perder o seu animal:

 

logo_encontra_me

 

 

  • Nunca deixe o seu animal passear sozinho no exterior! Fora de casa, os animais ficam expostos a inúmeros e graves perigos, tais como atropelamento, doenças, maus-tratos, rapto ou envenenamento. Entre outros imprevistos, podem ainda desorientar-se ou seguir uma fêmea em cio e não conseguir regressar a casa. As coisas correm sempre bem para quem deixa o seu animal passear sozinho até ao dia em que o animal é atropelado ou desaparece de vez.
  • Passeie sempre o seu cão pela trela! Quando sair para passear o seu cão ou ir ao veterinário, leve-o sempre pela trela, segurando-a firmemente com a mão. Mesmo que o seu cão seja obediente, o instinto está sempre presente. Entre outros imprevistos, o seu cão pode escapar em perseguição a outro animal ou assustar-se com algum ruído forte (como foguetes ou o motor de uma mota) ou com outro animal. Um cão assustado pode facilmente escapar ao seu controlo e fugir.
  • Transporte sempre o seu gato dentro de uma transportadora! Sempre que sair com o seu gato (para ir ao veterinário ou em viagem, por exemplo), leve-o dentro de uma transportadora apropriada. Nunca o transporte ao colo nem solto dentro da viatura. Ao sair do seu ambiente, um gato muito facilmente se assusta com ruídos ou odores estranhos, com outras pessoas ou outros animais. Um gato assustado é dificilmente controlável e pode fugir e/ou ferir pessoas e outros animais.
  • Identifique o seu animal! Esta simples medida poderá ser a solução no caso de o seu animal se perder. Identifique o seu animal com uma medalha visível com contacto telefónico (dois números de telefone, de preferência) e peça ao veterinário que implante um microchip de identificação no seu animal (esta medida já é obrigatória por lei para os animais nascidos a partir de 1 de Julho de 2008). Contacte depois a base de dados de microchips em que o seu animal foi registado, para se certificar de que o registo já se encontra no sistema. Há relatos de registos que demoram vários meses a ser introduzidos ou que nunca chegam a ser introduzidos, por isso é vital que se certifique de que o número de microchip do seu animal está na base de dados.
  • Em vez de prender a trela a uma coleira, prenda-a a um peitoral! Sempre que possível, para passear o seu animal, dê preferência a um peitoral (ou arnês). Um animal assustado poderá libertar-se facilmente de uma coleira. Por outro lado, coleiras justas são muito perigosas para os animais que se encontrem em crescimento (se a coleira não for afrouxada à medida que o animal for encorpando — o que acontece se o animal se perder ou for abandonado — a coleira tornar-se-á um grave problema, podendo sufocar o animal ou entranhar-se no pescoço). Recomendamos que utilize um peitoral para passear o seu animal e que lhe coloque uma coleira frouxa com medalha identificação. Assim, se o seu animal eventualmente conseguir rebentar ou libertar-se do peitoral aquando do passeio, permanecerá com identificação na coleira.
  • Mantenha portas e janelas bem fechadas! Muitos casos de desaparecimento de animais são causados por simples distracção. Se tiver gatos, é essencial manter as janelas/varandas de casa fechadas ou, em alternativa, aplicar redes plastificadas ou metálicas. As quedas de gatos são muito frequentes. Bastará um gato assustar-se ou tentar apanhar um pássaro ou uma mosca para se desequilibrar e cair, muitas vezes fatalmente. Por outro lado, se tiver de fazer obras dentro de casa ou no quintal e houver o risco de uma porta ou portão ficar aberto, mantenha o seu animal numa área segura da qual tenha certeza de que ele não conseguirá sair.
  • Não deixe o seu animal acessível a terceiros! Há cada vez mais relatos de animais que são raptados para serem explorados para procriação, venda ou "lutas" de cães. Nunca deixe o seu animal preso a um poste ou dentro do carro enquanto vai às compras. Se tiver um quintal/jardim/pátio com muros baixos para a rua, evite deixar o seu animal sozinho nesse local enquanto não está ninguém em casa e muito menos durante a noite. Uma parte considerável dos raptos de animais no nosso país advém de situações em que o animal fica sozinho ao fácil alcance de terceiros.
  • Seja extremamente vigilante em situações novas e não familiares! Se tiver adoptado o seu animal recentemente, se tiver mudado de casa ou se o seu animal tiver de ficar temporariamente num local que lhe é desconhecido (por exemplo, em casa de amigos ou familiares), certifique-se de que o seu animal fica numa área segura da qual não consiga fugir. As fugas pós-adopção são demasiado frequentes. Por favor, tenha ainda mais cuidado nas primeiras semanas de adopção de um animal. O seu animal precisa de tempo para se adaptar ao novo ambiente e às pessoas.
  • Tenha cuidados redobrados com animais seniores ou com incapacidades ou necessidades especiais! Os animais com faculdades de audição ou visão debilitadas ou inexistentes encontram grandes dificuldades em sobreviver às provações e perigos da rua, particularmente ao risco de atropelamento. De modo idêntico, os animais com necessidade de medicação regular ou de ração específica, podem não conseguir suportar a falta de tratamento e de alimentação adequada. É fundamental que a segurança destes animais esteja sob constante vigilância, pois, em caso de desaparecimento, poderá não ser possível localizá-los com a rapidez necessária.
  • Tenha especial atenção durante viagens! Tenha cuidado redobrado nas viagens com animais. Nesses casos, o ideal seria colocar o seu animal dentro de uma transportadora. Além de o seu animal poder saltar da janela do veículo sem que se aperceba, em caso de acidente, um animal à solta dentro do veículo será mais facilmente atirado para fora e/ou fugirá mais facilmente do local devido ao susto. Em estadias de férias, certifique-se de que o seu animal terá um lugar seguro e apropriado para ficar. A recuperação de animais desaparecidos longe do seu ambiente é bem mais difícil e trabalhosa.
  • Esterilize o seu animal! Quer seja macho ou fêmea, estando esterilizado, o seu animal terá menos tendência a fugir. Além disso, no caso de o seu animal ser de raça definida, deixará de ser apetecível aos "amigos do alheio" que procuram e mantêm animais de raça para procriação com fins lucrativos. Por outro lado, a esterilização oferece outras vantagens ao seu animal, como uma vida mais longa e saudável. Para mais informações sobre a esterilização, consulte Esteriliza-me.org.
  • Tenha fotografias actualizadas do seu animal! Na eventualidade de o seu animal um dia desaparecer, procure ter sempre uma fotografia actualizada do seu animal. Ela poderá ser essencial para que o animal seja rapidamente identificado e localizado.

 

Passeie sempre o seu cão pela trela
e nunca deixe o seu gato vaguear fora de casa!

A esmagadora maioria dos desaparecimentos
poderia ser evitada por estas simples medidas.

 

In http://www.encontra-me.org/evitar/

 

Quando encontrar o seu animal,

não se esqueça de ir retirar todos os folhetos que afixou

e enviar mensagem para o Encontra-me.org

 

 

 

Os Residentes

penha.JPG

Datas Importantes

No events

Inquéritos

Considera importante uma nova Lei de Protecção Animal em Portugal?
 

Contactos de Urgência

Linha SOS Ambiente (SEPNA) Para denúncias sobre crueldade animal ou situações que violem a legislação ambiental 808 200 520
Comando da GNR Telefone 213 217 000 guardarepublicana@gnr.pt
Associação ANIMAL Denúncias e conselhos/apoio sobre crueldade e abandono animal Tel.: 96 132 08 18 info@animal.org.pt
Comando da PSP Telefone 217 654 242
CSEPNA Para denúncia de maus tratos animais, crueldade, negligência e animais em risco ligue 21 750 30 80 - 961 195 298 sepna@gnr.pr

Estatistica de Visitas

mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterHoje71
mod_vvisit_counterOntem124
mod_vvisit_counterEsta Semana497
mod_vvisit_counterSemana Anterior704
mod_vvisit_counterEste Mês1949
mod_vvisit_counterMês Anterior3429
mod_vvisit_counterTotal1174633

Online (Ultimos 20 min): 3
O Seu IP: 54.82.57.154
,
2018-01-19 16:31

Ficha Técnica

Criação, organização e manutenção:

Jo@o Gomes

Concepção e conteúdos:

Filomena Marta

Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.